quinta-feira, 6 de junho de 2013

A escola bilingue

Fonte: http://portuguese.recife.usconsulate.gov/pt/about-us.html
Meu filho está com 3 anos de idade. Desde que tinha 1 ano, frequenta uma pré-escola durante o período da tarde. Está com a mesma turminha há 2 anos e meio, e a escola é super exigente no quesito alimentação: só serve sucos naturais, o jantar (não sopa, jantar mesmo) é servido e as festinhas de aniversário são organizadas pela própria escola, sendo vedada a presença dos pais ou o envio de qualquer comida de casa (só pode enviar a lembrancinha, desde que não seja comestível). Perfeita para uma chata como eu.

Mas em 2016 meu filho ingressará no 1.º ano. Mesmo que a escola que ele hoje frequenta disponibilizasse o ensino fundamental, eu não deixaria ele lá. Isso porque eu acho que a partir dos 6 anos a criança deva ir para uma escola grande, onde nem todo mundo sabe o seu nome, e conviver com crianças das mais variadas idades. Opinião minha.

E tem, perto da minha casa, um colégio Marista super tradicional, para onde a maioria dos egressos da atual escolinha do meu filho vão. E eu realmente acho fundamental que o ensino fundamental seja em uma escola “puxada”. Quero que meu filho domine a língua portuguesa – e eu acredito que se isso não for aprendido no ensino fundamental, dificilmente será possível aprender a escrever bem no ensino médio ou mais tarde. Opinião pessoal minha formada ao longo de quase 15 anos de trabalho diário com a palavra escrita.

Acontece que essa escola tem poucas vagas disponíveis, e a reserva de vaga tem que ser feita até o final do ano corrente (pasmem).

Só que....

Eu e meu marido realmente gostaríamos que os nossos filhos não cursassem faculdade no Brasil e construíssem suas carreiras no exterior, por diversos motivos (sendo o principal deles a segurança e a qualidade de vida). Ainda, eu faço questão que o meu filho tenha a mesma fluência que eu tenho na língua inglesa (eu sei o quanto de portas isso me abriu e a comodidade que me proporciona).

Assim, não seria mais lógico colocá-lo numa escola bilíngue?

Há algumas na minha cidade. No entanto, as escolas bilíngues maiores são distantes da região onde moro e trabalho. Há apenas escolas menores.

E daí vem o meu receio: será que o ensino é bom? Será que meu filho realmente aprenderá a escrever bem em português? Será que será salutar para ele estudar em uma escola menor, para só na adolescência ser “jogado” numa escola grande?

Somado a isso, tem o fato que amigos meus que estudaram em escolas internacionais e optaram por cursar faculdade no Brasil não conseguiram ser aprovados em bons vestibulares, haja vista tais escolas priorizarem o currículo estrangeiro em detrimento do pátrio.

E por fim, me pergunto: vejo tantos casos de pessoas que ingressam em universidades estrangeiras mesmos tendo concluído o ensino fundamental e médio em escolas tradicionais, tendo apenas cursado (de forma séria e contínua) bons cursos de inglês, ou realizado intercâmbio e adquirido o idioma. Será que esta não seria uma opção mais interessante e sensata? Afinal, e se meus filhos não quiserem cursar faculdade no exterior? 

Não sei, estou muito em dúvida sobre qual é a melhor opção.


Nenhum comentário:

Postar um comentário